CTR Ideal – O Que Considerar ao Quantificar Sua Taxa de Cliques no Google Ads

Qual o valor ideal para uma CTR? E o que você pode fazer para aumentar a CTR de suas campanhas de Links Patrocinados?

 

O que pode ser considerado uma Taxa de Cliques (CTR) boa?

A pergunta é antiga. E os fatores que determinam a resposta mais precisa são bastante variados.

Afinal, considere as páginas de resultados do Google. Elas mudaram muito. Os clássicos 10 resultados deram lugar a estruturas muito mais complexas. Links Patrocinados de texto, anúncios com imagens, painéis de conhecimento, múltiplas plataformas, respostas rápidas – diversos itens que podem ser combinados de acordo com a pesquisa do usuário.

Além disso, o mobile surgiu anos atrás como coadjuvante, e hoje é personagem principal.

Diante de tantas mudanças, é sempre interessante reconsiderar a pergunta: o que é uma boa CTR no Google Ads?

 

O Valor da CTR

 

A taxa de cliques é uma das muitas métricas importantes no âmbito do Google Ads e de outras plataformas de marketing digital.

Ela ajuda a quantificar o número de pessoas que viu seu anúncio e se interessou, a ponto de clicar nele.

Os anunciantes costumam utilizar esta métrica como base para verificar se o anúncio é efetivo. Ou seja, se está sendo exibido para as pessoas certas no momento certo. Além disso, a CTR pode ser usado para verificar a qualidade do anúncio, se está sendo suficientemente interessante para atrair a atenção do público-alvo.

Por isso, aumentar a CTR é um dos aspectos da otimização das campanhas no Google Ads.

 

A Diferença das Redes e Canais

 

Ao determinar uma boa CTR é importante levar em consideração a rede onde os anúncios de Links Patrocinados são veiculados.

Por exemplo, anúncios de texto e anúncios do Google Shopping na rede de pesquisa costumam ter uma taxa de cliques maior do que os Links Patrocinados exibidos na Rede de Display.

No entanto, quando falamos em Rede de Display, precisamos abrir parênteses. Os anúncios de Remarketing são uma exceção – eles oferecem taxas de cliques bem superiores à publicidade tradicional no Display.

 

Ao Avaliar a CTR, Não Deixe de Fora o Contexto

 

Ao avaliar a taxa de CTR é importante considerar os fatores que podem alterá-la.

Por exemplo, a posição do anúncio. Se o seu Link Patrocinado for exibido no primeiro resultado no Google, obterá uma visibilidade maior do que se for exibido na parte inferior dos resultados.

A quantidade e qualidade das extensões de anúncios também fazem toda a diferença. Anúncios com extensões não ficam apenas maiores, mas também tem maior probabilidade de exibir uma informação que seja exatamente o que o cliente está procurando.

Outro fator para levar em conta ao determinar uma boa CTR é a tela onde os anúncios são exibidos. De modo geral, anúncios exibidos em celulares têm uma taxa de cliques maior do que os exibidos em computadores.

CTR maior em smarphone

Uma das características que contribuem para isso é o tamanho da tela dos smartphones. Com o tamanho menor, os Links Patrocinados (especialmente aqueles exibindo imagens) acabam ocupando mais espaço da tela.

Sempre leve em consideração o ramo de atuação de sua empresa. Diferentes setores trazem diferentes comportamentos e resultados. Por isso, contextualize sua CTR levando em consideração seu segmento de atuação.

De qualquer forma, é importante ter dados suficientes. Não adianta pegar um anúncio que teve apenas 10 impressões e avaliar a CTR, já pensando em fazer ajustes e otimizações. Talvez você precise de algumas centenas de impressões para poder ter uma visão completa e alicerçada do desempenho dos anúncios.

 

CTR de 2% É Bom?

 

De modo geral, você vai encontrar o valor de 2% como sendo uma taxa de cliques interessante. De fato, dependendo do seu ramo de negócio, pode ser uma boa taxa.

Mas, como analisado acima, é preciso levar em consideração diversos fatores. Por exemplo, campanhas no Google Shopping podem taxas de cliques bem acima dos 2%. Além disso, é preciso verificar o mercado de atuação de sua empresa, se esta taxa está sendo obtida no mobile ou computadores, além de outras variáveis.

Talvez você esteja atingindo os 2% e está satisfeito com isso. Mas é preciso considerar que nem todas as pessoas que clicam nos anúncios são clientes em potencial. Pode ser que, por falta de clareza no anúncio, as pessoas clicam esperando um tipo de serviço ou produto, somente para descobrir que não era aquilo que ela desejava.

 

Otimizar Sempre

 

Sua CTR talvez esteja boa, mas será que ainda há espaço para melhorar a taxa de cliques?

Em vez de arriscar uma resposta, você pode realizar testes A/B para verificar isso.

Em muitos casos, a simples mudança no título ou na descrição de um anúncio já pode alterar o desempenho dos Links Patrocinados.

Além disso, no caso de anúncios exibidos na Rede de Display, você pode testar outras imagens para seus banners gráficos. Alterar suas imagens, buscando sempre as mais relevantes e de maior qualidade, podem impulsionar o desempenho das campanhas.

Mas nem sempre a otimização está no campo visual, naquilo que os clientes visualizam.

Algumas alterações ocorrem, por assim dizer, nos bastidores.

Você pode melhorar sua taxa de cliques (CTR) por:

  • Adicionar mais palavras-chave negativas, impedindo os anúncios de serem exibidos em pesquisas irrelevantes;
  • Remover tipos de correspondência com desempenho abaixo do esperado;
  • Remover ou adicionar os parceiros de pesquisa para exibição dos anúncios;
  • Fazer ajustes nos lances, cuidando para que o CPC não fique muito alto, além de suas expectativas.

 

O Valor de Outras Métricas Combinadas Com a Taxa de Cliques

 

Não podemos utilizar a CTR como única métrica de valor. O Google Ads oferece uma ampla gama de métricas que ajudam a quantificar o valor das campanhas de Links Patrocinados.

A combinação da taxa de cliques com outras métricas e KPIs são essenciais para visualizar o desempenho das campanhas no curto, médio e longo prazo.

Para muitas empresas que anunciam no Google de forma autônoma, estar em dia com tantas métricas lançadas é um verdadeiro desafio.

É por isso que grande parte dos anunciantes prefere contratar os serviços de uma agência certificada Google Partner.