A Incrível História da Inteligência Artificial

22/03/2019 by in category Inteligência Artificial with 0 and 1
Home > Blog > Inteligência Artificial > A Incrível História da Inteligência Artificial

Infográfico: em ordem cronológica, conheça os principais momentos da história da Inteligência artificial, desde a década de 50 até os dias de hoje.

Infográfico História da Inteligencia Artificial – by Clinks

Compartilhe no seu site (selecione, Ctrl C e Ctrl V):

A história da Inteligência Artificial nos tempos modernos

1950

Alan Turing publica um artigo sobre testar a capacidade das máquinas pensarem, exibindo um comportamento inteligente semelhante aos humanos. O teste passa a ser conhecido como Teste de Turing, e se torna um conceito fundamental da Inteligência Artificial.

1951

A SNARC, a primeira rede neural de inteligência artificial, é construída por Marvin Minsky e Dean Edmunds. A SNARC utiliza 3000 válvulas para simular uma rede de 40 “neurônios”.

1952

O primeiro programa de jogo de xadrez foi escrito por Arthur Samuel, da IBM, com alto desempenho de competitividade.

1956

O termo Inteligência Artificial é cunhado pelo jovem cientista da computação, John McCarthy.

É realizada a Primeira Conferência Internacional de Inteligência Artificial. Nela, Nathaniel Rochester, da IBM, apresenta um modelo de rede neural artificial, simulando centenas de neurônios conectados.

1957

É inventado o Perceptron, uma rede neural artificial. Seu criador, Frank Rosenblatt, é considerado por muitos como o fundador da neurocomputação.

1958

John McCarthy desenvolve a linguagem de programação LISP.

É realizada a Conferência de Teddington onde os trabalhos de grandes nomes da programação e inteligência artificial são apresentados, tais como John McCarthy, Oliver Selfridge e Marvin Minsky.

1959

O termo “Aprendizado de Máquina” é cunhado por Arthur Samuel.

1963

Thomas Evan desenvolve o programa Analogy que é capaz de resolver os mesmos problemas de analogia dos testes de QI.

1964

O programa SIR é escrito por Bert Raphael. O sistema tem a capacidade de acumular dados e fazer deduções. O SIR consegue fazer perguntas para obter mais dados e, assim, resolver ambiguidades.

1965

Surge ELIZA, o primeiro robô de conversação, que simula diálogos.

1967

DENDRAL é escrito, um programa capaz de predizer estruturas de compostos químicos utilizando dados de análises de rotina.

1968

Marvin Minsky e Seymour Papert escrevem o livro Perceptrons que aborda a análise de redes neurais artificiais.

1969

Shakey é introduzido como o primeiro robô móvel controlado por meio da Inteligência Artificial.

1973

Após a veiculação de um relatório sobre atrasos no avanço da Inteligência Artificial e suas limitações, a tecnologia entra no chamado Inverno da IA. Até 1980, a Inteligência Artificial ficaria estagnada.

1981

Sistemas comerciais atraem novos investimentos para a tecnologia. É o fim do Inverno da IA.

1985

Um software artista é apresentado em uma conferência sobre Inteligência Artificial. O programa AARON é capaz de realizar pinturas de forma autônoma, sem precisar de uma base de dados preestabelecida.

1988

É escrito o Jabberwacky, um chatbot que simula um bate-papo humano natural, de forma bem-humorada.

Membros do Centro de Pesquisa Watson, da IBM, anunciam mudanças nos métodos utilizados para tradução automática. As mudanças aproveitam melhor o aprendizado da máquina.

1993

Rod Brooks inicia o projeto COG. Trata-se de um robô com inteligência artificial capaz de aprender por meio de interações com pessoas e manuseando objetos.

É desenvolvido o Wanderer, considerado por muitos como o primeiro webcrawler. Inicialmente desenvolvido para a contagem de servidores web, seria posteriormente utilizado como motor de busca, na forma do Wandex.

1995

Richard Wallace desenvolve o chatbot ALICE, inspirado por ELIZA de J. Weizenbaum. O diferencial está na coleta de dados de linguagem natural em uma escala sem precedentes, graças ao advento da internet.

1996

O Google estabelece uma nova era das buscas na web ao utilizar a métrica de PageRank para definir a utilidade e relevância dos sites apresentados aos internautas.

1997

O Deep Blue, desenvolvido pela IBM, derrota o campeão do mundo de xadrez, Garry Kasparov.

O robô-veículo Sojourner toma suas próprias decisões a medida que explora a superfície do planeta Marte.

2000

Cynthia Breazeal desenvolve o KISMET, um robô capaz de simular e reconhecer emoções humanas.

2001

A Amazon utiliza a filtragem colaborativa baseada em itens para recomendação de produtos.

2003

A IBM cria o Watson, nome dado em homenagem ao fundador da IBM, Thomas Watson. A solução objetiva coletar dados disponíveis e superar obstáculos.

2006

A Netflix lança a primeira competição “Netflix Prize” com o objetivo de encontrar um programa de recomendação mais preciso para seus usuários.

2007

O cientista da computação Fei Fei Li inicia a criação do ImageNet, um grande banco de dados de imagens. O objetivo do ImageNet é auxiliar na busca e reconhecimento de objetos visuais.

2009

O Google começa a testar um automóvel que se desloca sem motorista.

É desenvolvido o Stats Monkey, um programa que escreve notícias de esportes sem intervenção humana.

2011

Google lança o projeto Google Brain o que aumenta as possibilidades Deep Learning.

A Microsoft introduz o Deep Learning em seus produtos reconhecimento de voz, como a busca por voz no Bing e os comandos de voz no X-Box.

O Watson, a plataforma de serviços cognitivos da IBM para negócios, é apresentado mundialmente. A vitória do supercomputador sobre os humanos no programa Jeopardy é um dos grandes responsáveis por esta publicidade.

2012

Em Londres, é fundada a DeepMind. A empresa desenvolve algoritmos que permitem que simuladores, e-commerces e jogos “aprendam” com o comportamento dos usuários.

2013

Facebook investe pesado na contratação de profissionais de redes neurais. O objetivo é aprimorar a Inteligência Artificial para tradução de bilhões de postagens diárias, bem como na pesquisa, organização e identificação de fotos.

A Inteligência Artificial também é utilizada pelo Facebook para aprimorar seu feed de notícias.

A IBM anuncia que disponibilizará a API do Watson para desenvolvedores.

2014

IBM anuncia investimentos no Watson e outras tecnologias para ajudar países da África a enfrentar problemas de desenvolvimento.

A IBM adquire a empresa norte-americana Silverpop, cuja plataforma reúne dados locais para entender o comportamento dos clientes. Este movimento seria o precursor do IBM Watson Campaign Automation.

A IBM traz o Watson para o Brasil. Empresas de diversos segmentos integram a primeira onda de conversão para a tecnologia de computação cognitiva.

2016

Condé Nast, um dos maiores grupos internacionais de revistas, utiliza o IBM Watson para identificar características demográficas e traços de personalidade do seu público.

2017

Google Ads anuncia um grande número de inovações utilizando o aprendizado de máquina. Entre elas as campanhas universais para apps, metas inteligentes e segmentação de públicos-alvo de intenção personalizada.

O IBM Watson Campaign Automation torna-se disponível no Brasil. A nova solução de marketing inteligente utiliza o tão falado Big Data para integrar on e off, criando campanhas de marketing altamente personalizadas.

2018

A Clinks entra na era da Inteligência Artificial e passa a operar o Google Ads com uso de Machine Learning, Data Drive, Smart Bidding e Automação dos anúncios de Links Patrocinados, gerando resultados mais otimizados e acertivos para seus clientes. Foi destaque no Brasil com case de sucesso devido aos resultados obtidos na implantação das Smart Campaign do Google Ads. 

Obra de arte criada por inteligência artificial é leiloada por US$ 432.500. A casa de leilões Christie’s se torna a primeira a oferecer uma obra de arte criada por um algoritmo.

A IA da Alibaba supera humanos em um teste de leitura e compreensão da Universidade de Stanford, pontuando 82,44 contra 82,30 em 100.000 perguntas.

Astrônomos alimentam Inteligência Artificial com dados sobre crateras já observadas na Lua. Em resultado, a IA localiza 6.000 novas crateras na superfície do nosso satélite natural.

2019

Google abre um laboratório de inteligência artificial em Gana, o primeiro do tipo na África. A iniciativa tem como objetivo encontrar soluções para os problemas ambientais, socioeconômicos e políticos do continente.

Depois de derrotar humanos em jogos de tabuleiros, a inteligência artificial criada pela DeepMind do Google consegue derrotar jogadores profissionais de StarCraft II. E não foi uma simples vitória: o placar ficou em 5 a 0 para a IA.

Google lança BERT (Bidirectional Encoder Representations from Transformers), um sistema de inteligência artificial que aprimora o processamento da linguagem natural. O objetivo é auxiliar as máquinas a compreender melhor as pesquisas humanas nos buscadores.

O Banco ABC anuncia o Fatema – uma versão revolucionária dos chatbots. O Fatema é um avatar que conversa com clientes em dispositivos móveis e acumula experiência. O sistema de IA permite que o Fatema se envolva pessoalmente com os clientes sendo capaz até mesmo de interpretar emoções faciais.

A startup Cerebras Systems revela o maior chip já construído até então: 1,2 trilhão de transistores. Um grande passo para acelerar a velocidade de computação da IA.

Um laboratório de pesquisa utiliza IA para animar uma das pinturas mais famosas do mundo, a Mona Lisa de Leonardo da Vinci.

2020

A Escola de Engenharia Molecular da Universidade de Chicago desenvolve um processo baseado em inteligência artificial para construir proteínas artificiais.

O primeiro cientista automatizado é desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Liverpool. Ele é capaz de tomar decisões relacionadas a experimentos de química.

Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) utiliza um algoritmo de Inteligência Artificial para criar um antibiótico. Em testes de laboratório, a droga foi capaz de matar bactérias resistentes aos antibióticos conhecidos.

Inteligência Artificial desenvolvida por pesquisadores da Duke University faz com que rostos embaçados pareçam 64 vezes mais nítidos.

Cientistas lançam o Xenobot – o primeiro robô feito a partir de células-tronco. Um Xenobot pode se deslocar e até se curar caso seja danificado.

Facebook faz parceria com médicos da NYU Langone para utilizar a IA para acelerar as ressonâncias magnéticas.